Saúde alerta para risco de proliferação do Aedes aegypti


Manter a caixa d’água bem fechada, lembrar de colocar areia nos pratinhos de planta, guardar garrafas e baldes vazios de cabeça para baixo, longe do possível acúmulo de água, tampar bem e lavar com bucha e sabão os tonéis e depósitos de água. Regrinhas simples que podem ser postas em prática por qualquer pessoa e são extremamente eficazes na luta contra um inimigo comum da sociedade: o mosquito Aedes aegypti. Com a proximidade do Verão, os riscos aumentam. É que a reprodução do vetor é mais intensa nesse período, em decorrência da chuva irregular e a temperatura alta. Sem falar que ovos do mosquito podem durar até 450 dias, mesmo em um local seco, mas com umidade. “Se nesse período a área receber água novamente, o ciclo do Aedes se inicia e ele vira adulto em poucos dias. Por isso, esses cuidados simples, mas indispensáveis, devem ser realizados semanalmente”, enfatiza a coordenadora do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde, Sidney Sá. Segundo ela, a prevenção, aliada à limpeza e eliminação dos focos, continua sendo a principal arma da população contra o Aedes que, além de Dengue, causa também Febre Chikungunya e Zika Vírus – este último tido, ainda, como uma das causas da Microcefalia em bebês. “Um mesmo mosquito está associado a três doenças perigosas, com consequências gravíssimas para quem é infectado. Não é possível que ele sozinho seja capaz de vencer uma sociedade inteira”, alerta Sidney Sá, pedindo a conscientização dos sergipanos.

Conte-nos sua opinião